Remédio vencido não

14 de setembro de 2021

Basta dar uma conferida em sua “farmacinha doméstica” para constatar. É bem provável que você tenha comprimidos, pomadas, sprays e vidros de xarope cuja validade expirou ou que você não faz mais uso. O primeiro impulso é jogar tudo no lixo comum ou lançar em água corrente, seja na pia ou no vaso sanitário. Não faça isso. Saiba como descartar remédios vencidos ou não utilizados.

Sabe aquele medicamento que você usa para melhorar um desconforto ou controlar uma doença crônica? Ele pode ser prejudicial a outras pessoas e até mesmo ao meio ambiente se não for descartado de forma adequada. Considerados resíduos perigosos, remédios jamais devem ser jogados no lixo comum.

Medicamentos são os maiores causadores de intoxicações. Cerca de 70% da população faz o descarte desses produtos em lixos comuns ou esgoto. O descarte correto de medicamentos é importante, e deve ser feito de forma segura.

Restos de medicamentos sem o destino correto podem causar, por exemplo, o uso inadvertido por outras pessoas, resultando em reações adversas graves e intoxicações.

Além disso, o meio ambiente é agredido com a contaminação da água, do solo e dos animais. O descarte de medicamentos pelo esgoto e pelo lixo comum faz com que as substâncias químicas contidas nos medicamentos cheguem aos rios e córregos, podendo contaminar a água que bebemos.

Cientistas já comprovaram que os antibióticos no meio ambiente, por exemplo, não chegam a matar os animais, mas aumentam a resistência de bactérias, o que afeta também os humanos.

Como fazer o descarte correto e seguro

Em 2009, a Anvisa autorizou a participação de farmácias e drogarias em programas voluntários de descarte correto de medicamentos, assim como suas embalagens e de objetos perfurocortantes usados para ministrá-los. Verifique se as farmácias da sua região participam de alguma iniciativa e, caso positivo, peça orientação de como você deve proceder.

Pontos de coleta – em algumas cidades, as Unidades Básicas de Saúde (UBS) recebem medicamentos para descarte. Verifique no site da prefeitura do seu município se há pontos de coleta, caso contrário, peça informações nas UBS locais para fazer um descarte seguro.

Geralmente, os resíduos de medicamentos, as embalagens e os objetos usados para ministrá-los têm como destino final a incineração ou são levados para aterros industriais, dependendo do procedimento adotado em cada município.

Por fim, evite a automedicação. Existem inúmeras doenças com sinais e sintomas parecidos e, mesmo para doenças iguais, os tratamentos podem variar de pessoa para pessoa. Somente um especialista pode determinar o tratamento correto para o seu caso.

Fale agora conosco!