Você é hipertenso?

23 de junho de 2021

Uma doença silenciosa e de alto risco, a pressão alta, ao contrário do que muitos imaginam, é uma doença que pode afetar pessoas de qualquer idade e que não existe cura, apenas controle. Com alguns cuidados diários e bons hábitos os hipertensos podem levar uma vida normal e saudável. Acompanhe!

Hipertensão, mas conhecida popularmente com pressão alta, é uma doença que não escolhe suas vítimas: pode acometer crianças, adultos e idosos, homens e mulheres, independemente de idade, raça ou gênero.

A pressão alta está relacionada com a força que o sangue faz contra as paredes das artérias para conseguir circular por todo o corpo. O estreitamento das artérias aumenta a necessidade de o coração bombear com mais força para impulsionar o sangue e recebê-lo de volta. Como consequência, a hipertensão dilata o coração e danifica as artérias.

Os valores da pressão arterial não são sempre os mesmos durante o dia. Geralmente caem, quando dormimos ou estamos relaxados, e sobem com a atividade física, agitação, estresse.

O diagnóstico de hipertensão é feito pela medida da pressão. A forma mais comum é a medida casual, feita no consultório com aparelhos manuais ou automáticos. A hipertensão também pode ser diagnosticada por aparelhos, em testes conhecidos como MAPA – Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial – um gravador portátil que mensura as oscilações da pressão arterial em um intervalo de 20 a 30 minutos durante 24 horas.

Uma pessoa pode ser considerada hipertensa quando, ao medir a pressão arterial em repouso, esta apresenta valores iguais ou acima de 14 por 9 (140mmHg X 90mmHg). Hipertensos têm maior propensão para apresentar comprometimentos vasculares, tanto cerebrais (como AVC), quanto cardíacos (como infarto), doença renal crônica, alterações na visão e impotência sexual.

A hipertensão pode ser dividida em três estágios, definidos pelos níveis de pressão arterial. Esses números, somados a condições relacionadas que o paciente venha a ter, como diabetes ou histórico de AVC, determinam se o risco de morte cardiovascular do paciente é leve, moderado, alto ou muito alto. Além disso, quanto mais alta a pressão arterial, maior a chance de o paciente precisar usar medicamentos.

  • Estágio I: hipertensão acima de 130 por 90 e abaixo de 160 por 100
  • Estágio II: hipertensão acima de 160 por 100 e abaixo de 180 por 110
  • Estágio III: hipertensão acima de 180 por 110.

A hipertensão exige uma força maior do coração para o bombeamento do sangue por todo o corpo e isso pode ser um processo natural do corpo, mas é aumentado com alguns dos fatores de risco, tais como:

  • Hereditariedade – hipertensão é herdada dos pais em 90% dos casos.
  • Consumo de bebidas alcoólicas.
  • Consumo excessivo de sal.
  • Gênero e etnia – maior em homens, e em indivíduos de cor não branca).

Sintomas de Hipertensão

Na sua maioria os pacientes hipertensos são assintomáticos, podendo ocorrer dores no peito, dor de cabeça, tonturas, zumbido no ouvido e visão turva. Infelizmente, como a hipertensão só apresenta sintomas quando está mais avançada, as pessoas só suspeitam do quadro quando já apresentam alterações no organismo.

Para fazer diagnóstico precoce precisamos que em todo o atendimento de saúde, seja público ou privado, as pessoas tenham sua pressão arterial verificada.

Tratamento e Cuidados

A hipertensão não tem cura, mas tem tratamento para ser controlada. Somente o médico poderá determinar o melhor método para cada paciente, que depende das comorbidades e medidas da pressão. É importante ressaltar que o tratamento para hipertensão se inicia com a mudança do estilo de vida e pode ser associado ou não a medicamentos. Outros cuidados são:

  • Manter o peso adequado, se necessário, mudando hábitos alimentares
  • Não abusar do sal, utilizando outros temperos que ressaltam o sabor dos alimentos
  • Praticar atividade física regular
  • Aproveitar momentos de lazer
  • Abandonar o fumo
  • Moderar o consumo de álcool
  • Evitar alimentos gordurosos
  • Controlar o diabetes e outras comorbidades.

O tratamento da hipertensão deve ser individualizado. Somente um médico pode dizer qual tratamento e o medicamento, se necessário, mais indicado para o caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique.

Não é porque a pressão voltou ao normal que o tratamento acabou. Esse é um dos grandes problemas no tratamento da hipertensão. A É falso e arriscado o conceito de que uma vez que a pressão arterial esteja controlada, a medicação pode ser suspensa. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

A hipertensão arterial primária não tem cura, mas com uma boa rotina de cuidados e a inclusão de tratamento medicamentoso, junto com mudanças no estilo de vida, pode ser controlada e a pessoa leva uma vida normal, longa e muito saudável. Se cuide. E conte com a nossa ajuda, se precisar.

Fale agora conosco!