Obesidade é uma doença. E daí?

14 de dezembro de 2020

A obesidade é a segunda causa de morte evitável no mundo, perdendo somente para o tabaco. No Brasil, mais metade da população tem excesso de peso e mais de 40 milhões sofrem de obesidade. Saiba mais sobre os riscos do excesso de peso e o que fazer para evitar integrar esse grupo de risco – ou sair dele.

Mais do que aparência e uma questão estética, a obesidade é um problema de saúde que pode desencadear diversas doenças, no curto, médio ou longo prazo. É importante conhecer os riscos para a saúde e a necessidade da adoção de hábitos saudáveis a fim de evitar o excesso de peso e as doenças desencadeadas pela obesidade.

Os números impressionam: 55,7% da população adulta do país apresenta excesso de peso e 19,8% está obesa, de acordo com os dados de 2018 da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel). Outro dado alarmante é que 7,7% da população adulta possui diabetes e 24,7%, hipertensão, doenças onde o fator balança influi decisivamente. Em pouco mais de 10 anos, o número de pessoas obesas cresceu quase 70%, segundo dados de pesquisa do Ministério da Saúde

Por isso, a Danamed considera fundamental explicar aos seus beneficiários sobre a importância de cultivar a longo prazo hábitos saudáveis para manter o peso adequado e prevenir enfermidades.

Obesidade no Brasil e no mundo

Doenças oportunistas se instalam, aproveitando os problemas clínicos causados pela obesidade

Considerada uma doença crônica pela Organização Mundial de Saúde (OMS), os pacientes obesos são alvo de estigmas e preconceitos por questões físicas, sem que sejam considerados possíveis portadores de várias comorbidades associadas ao excesso de peso.

Muitas pessoas se preocupam em emagrecer, mas a grande maioria das vezes é apenas por uma questão puramente estética, sem dar importância às graves consequências de se estar acima do peso. Especialistas orientam que é preciso analisar com cuidado quais os riscos que o quadro do sobrepeso realmente traz para a saúde como um todo, atentando para aspectos clínicos, estéticos, sociais e até mental.

Seis dicas para prevenir o problema

  1. Tenha uma vida ativa e previna a obesidade

Levar uma vida sedentária é um dos fatores de risco para a obesidade, principalmente em pessoas que já possuem predisposição genética para engordar. Por isso, é importante manter-se ativo! E não estamos falando de ir à academia todos os dias, embora essa seja uma boa forma de manter um ótimo peso.

O simples hábito de fazer caminhadas ou subir escadas em vez de usar o elevador já pode ajudar bastante. Trocar o carro ou transporte público pela bicicleta para ir ao trabalho também é uma excelente forma de manter seu corpo em atividade e evitar o ganho de peso.

  1. Mude seus hábitos alimentares

A alimentação também tem um papel fundamental na manutenção do peso ideal e consequentemente para prevenir a obesidade. Se você se “entope” de pizza, refrigerante, fast food, doces e alimentos processados e embutidos, logo terá problemas com a balança.

O melhor é manter uma dieta equilibrada, consumindo frutas, verduras, legumes, alimentos integrais, carnes magras, entre outros. Claro que não precisa abdicar definitivamente das guloseimas, mas consuma somente de vez em quando. Veja também nesta edição do Danamed Comunica o post sobre “A importância de comer um prato colorido”

  1. Controle seu peso

É comum a pessoa ganhar peso e só perceber isso quando a roupa começa a ficar apertada. Para evitar que você engorde muito sem perceber, faça um acompanhamento semanal de seu peso. Se perceber que está ganhando quilos extras, mude alguns hábitos para perdê-los rapidinho. Lembre-se que é bem mais fácil emagrecer dois ou três quilos do que cinquenta!

  1. Faça acompanhamento médico

Ir ao médico regularmente ajuda a preservar a boa saúde e manter o peso ideal. Fazer o check-up com um médico todo ano também ajuda na prevenção da obesidade. Realize consultas e exames médicos para verificar se o seu organismo está funcionando em perfeito estado, isso ajuda a precaver o surgimento de futuros problemas de saúde.

  1. Coma apenas quando sentir fome

Algumas pessoas comem por ansiedade. Além de ser um péssimo hábito, isso ainda contribui com a obesidade. Então, preste atenção aos sinais de seu organismo para identificar se sua vontade de comer é realmente fome. Evite beliscar entre as refeições!

  1. Tome pelo menos de dois a três litros de água diariamente

Barata e livre de calorias, ela é essencial para a manutenção da saúde, da beleza e para o bom funcionamento do organismo. A maioria das pessoas que não tem o hábito de tomar água durante o dia, podem facilmente confundir fome com sede. Por isso, você deve tomar bastante água, pois ela ajuda a evitar a obesidade.

IMC: uma forma simples de calcular seu peso ideal

 

IMC é a sigla para Índice de Massa Corpórea, parâmetro adotado pela Organização Mundial de Saúde para calcular o peso ideal de cada pessoa. O índice é calculado da seguinte maneira: divide-se o peso do paciente pela sua altura elevada ao quadrado. Diz-se que o indivíduo tem peso normal quando o resultado do IMC está entre 18,5 e 24,9.

Veja a fórmula e o quadro de classificação abaixo:

Ainda tem dúvidas? Procure um dos profissionais de saúde em nossos ambulatórios e conheça os programas Danamed e os serviços de apoio que temos a sua disposição para ajudar nesta batalha. Não é fácil, mas conte com a nossa ajuda. 

 

Fale agora conosco!