Dá para fazer exercícios físicos em casa? Claro que sim!

23 de maio de 2024
0 Comments

E perfeitamente possível exercitar-se em casa e as opções são diversas, com aulas on-line gratuitas, aplicativos específicos para a prática esportiva e até professores de educação física que só atendem pela internet.

Sabe aquele “amanhã eu começo”, “não tenho tempo”, “não consigo pagar uma academia” ou “não gosto de academia”. São desculpas clássicas para não fazer exercícios físicos.

Tudo pode ser motivo para não nos exercitarmos e continuamos no sedentarismo, achando que a vida não cobrará essa inatividade e a falta de exercícios físicos.

Tenha certeza que esse descaso com sua saúde causará problemas no futuro e pode comprometer sua qualidade de vida.

Se você é do tipo de pessoa que não gosta de frequentar academia ou acha que sair de casa para fazer atividades físicas vai ocupar muito do seu tempo, a solução é fazer atividades físicas em casa para mudar esse padrão de comportamento e experimentar os benefícios físicos e mentais que uma sessão de ginástica pode proporcionar.

Exercitar-se com frequência traz benefícios ao organismo de diversas maneiras, tais como: reduz a gordura corporal, melhora o condicionamento físico, mantém o metabolismo em equilíbrio, aumenta a massa muscular, torna o sistema imunológico mais resistente, melhora o sono e traz mais disposição ao longo do dia.

Adotar esse hábito favorece também a saúde mental, pois a realização de atividades físicas ajuda a controlar a ansiedade e o estresse, evitando o desenvolvimento de condições mentais graves, como a depressão e a síndrome do pânico.

Mas fica o alerta: esse deve ser um hábito regular e que deve ser mantido ao longo dos dias, semanas, meses e anos. Somente com a prática frequente e que seu corpo experimentará os benefícios em termos físicos e mentais, melhorando gradativamente sua eficiência funcional, raciocínio, disposição física e bem estar.

Além de ser uma atividade com pouco ou nenhum investimento financeiro, os treinos caseiros permitem maior flexibilidade na escolha do treino que deseja realizar, além de permitir experimentar outras técnicas e modalidades para organizar suas séries semanais de exercícios.

É perfeitamente possível exercitar-se em casa e as opções são diversas. Na internet, existe uma infinidade de canais de professores de educação para acompanhar, além de aplicativos específicos para a prática.

As aulas são variadas e partem de treinos aeróbicos até aulas de relaxamento. Cabe a você escolher a que mais se adequa ao seu perfil e até experimentar algumas e escolher a que mais lhe agrada e mantem sua motivação para continuar praticando.

Enquanto não encontra o professor virtual de sua preferência, o DANAMED Comunica sugere alguns exercícios para realizar no conforto do seu lar. Acompanhe:

Atividades aeróbicas: são aquelas que aumentam a sua frequência cardíaca e estimulam a circulação.

Pular corda – Brincadeira de criança, mas que ajuda a melhorar o condicionamento físico e prepara o nosso corpo para outras atividades. Não force demais até ter total domínio da coordenação motora e não sinta exaustão ou dores. Faça três séries de 20 a 30 saltos e descanse por cerca de 30 segundos.

Polichinelo – Quem não “pagou” séries de polichinelo na escola ou durante o serviço militar. Basta pular com os braços estendidos e, ao mesmo tempo, afastar os pés de acordo com a distância entre os ombros e bater as mãos acima da cabeça. Repita a sequência por 15 a 20 vezes.

Dança – É exercício sim e música e movimento corporal têm tudo a ver com atividade física. Existem diversos ritmos e modalidades de dança para escolher. A sugestão é procurar vídeos específicos na internet e seguir os passos indicados.

Fortalecimento muscular – são as atividades que aprimoram nossa força e resistência localizada e auxiliam na postura, mobilidade e coordenação motora.

Flexão de braços – Outra atividade muito executada nas sessões escolares de educação física e nas rotinas do serviço militar. Deitado com a barriga para baixo e mãos e pés apoiados no solo, basta flexionar e estender os braços, sem permitir que o peito toque o solo. Para mulheres e iniciantes é recomendável realizar em seis apoios –   mãos, joelhos e pés no chão, com um leve desiquilíbrio do corpo a frente. Repita o movimento 10 vezes e faça três séries iguais com alguns segundos de descanso entre cada uma.

Agachamento – Exercício para as pernas que ajuda no ganho de força dos membros inferiores, estabilidade do quadril e equilíbrio geral. Com os pés apoiados no chão e pernas afastadas na largura dos ombros, contraia o abdômen e flexione os joelhos. Faça o agachamento até que o quadril esteja alinhado com a altura dos joelhos e volte a posição inicial, sempre com a coluna bem reta. Repita a sequência de 10 a 15 vezes e faça pelo menos três séries iguais com 30 segundos de descanso.

Abdominal – Melhora a postura e aumenta a proteção aos órgãos alojados na cavidade abdominal. Deite com a barriga para cima, as pernas flexionadas e pés apoiados no solo. Eleve o tronco em direção aos joelhos e repita o movimento por pelo menos 10 vezes. As mãos podem estar na nuca, cruzadas sobre o peito ou até mesmo apoiadas no solo, desde que não use os braços para elevar o tronco do solo. É recomendado fazer cerca de três séries iguais com 30 segundos de descanso entre cada uma.

Prancha – Mais um exercício para a região abdominal. Basta deitar-se com a barriga para baixo, contrair o abdômen, apoiar o corpo nos antebraços, subir o quadril e manter as pontas dos pés apoiados no chão. A coluna e a região do glúteo devem ficar igualmente alinhadas. O ideal é manter-se nessa posição entre 30 e 60 segundos e fazer cerca de três séries iguais.

Relaxamento e alongamento – São aquelas atividades feitas após o exercício para promover um distensionamento dos músculos e melhora a percepção corporal. Pode ser uma sessão de Yoga, alongamento, meditação ou uma automassagem.

Importante: Antes de realizar atividades físicas em casa, é preciso consultar um médico para aproveitar os benefícios dos exercícios e diminuir os riscos. Uma simples avaliação médica pode ser suficiente para pessoas assintomáticas e que estão com a saúde em dia.

E sempre busque orientação de um profissional de educação física habilitado pelo CREF – Conselho Regional de Educação Física. Ele saberá acompanhar e dosar seu programa de exercícios físicos, monitorando seus resultados, corrigindo execuções e aprimorando as sessões para um benefício e evolução consistentes.