Atualização sobre a COVID-19 foi o tema do Podcast Bate-papo Danamed

15 de dezembro de 2020

O mais recente episódio do *Podcast Bate-papo Danamed* apresentou a entrevista da Dra. Carmen Kauer, do nosso Serviço Médico, com o Infectologista Dr. André Machado, do Hospital Conceição, em Porto Alegre (RS). Veja as principais recomendações dos especialistas para evitar o contágio e seguir se e nos protegendo:

Em bate-papo virtual realizado com a Dra. Carmen Lúcia Kauer, coordenadora de serviços médicos Danamed, o Dr. André Machado, que também é consultor Dana para Covid-19, sendo inclusive o especialista que ajudou a elaborar nosso Plano de Ação e Protocolos de prevenção à Covid-19, fez uma avaliação dos 11 meses de pandemia, analisando a situação atual e o que podemos esperar para os próximos meses.

Para o infectologista a pandemia está em um momento crítico. Ele avalia que esta não é a segunda onda e sim ainda é a primeira onda, que apresentou uma leve queda e agora está subindo novamente, com o número de casos de contágio e internação crescendo. “A doença ainda está em franca atividade, pois não temos ainda um tratamento definitivo, nem uma medida clínica de prevenção, que são as vacinas. A boa notícia é que as vacinas começam a despontar, mas enquanto isso não acontece, o uso de máscara, distanciamento social, limpeza das mãos e evitar aglomerações ainda são as medidas que surtem efeito na prevenção”, alerta o médico.

Para o Dr. André essas rotinas são as únicas medidas eficazes para conter a evolução da doença e evitar que o sistema de saúde entre em colapso. “Um paciente fica internado em média 10 dias na enfermaria e até 20 dias se o caso for de internação em UTI. Isso gera pressão na ocupação de leitos nos hospitais e alguns estão com taxas acima de 90% de ocupação. Isso mostra que a doença ainda não está sob controle e traz uma preocupação com o risco de desassistência da população, um colapso no sistema de saúde”, analisa ele e alerta: “se não houver a participação da população e cada um se solidarizar e fizer a sua parte os prejuízos em saúde e financeiros serão danosos a todos.

Outra observação do Dr. André é que está havendo uma mudança na característica dos infectados, a queda na faixa etária dos internados. “Antes eram os idosos o público mais acometido pela doença, hoje aumentou a frequência de indivíduos em 18 e 50 anos. Enquanto os mais velhos estão observando a quarentena e isolamento social, os mais novos estão se aglomerando, descuidando das medidas de higiene. Essa mudança tem relação direta com o desrespeito às medidas de prevenção”, avalia.

A pedido da Dra. Carmem, que observou um aumento nos casos de COVID-19 na Dana após os feriados do mês de novembro e com a preocupação da proximidade das viagens e festividades de fim de ano, o infectologista fez algumas orientações para evitar que essa situação se repita.

É importante a pessoa se conscientizar sobre os sintomas da COVID-19, para reconhecer precocemente e se afastar de outras pessoas e familiares, fazendo o teste o mais breve possível. Isso quebra a corrente de transmissão e, consequentemente, diminui o número de pessoas expostas ao vírus”, orienta ele.

Outra medida de precaução é quanto a viagens. Dr. André reforça que se alguém estiver apresentando qualquer sintoma não deve entrar em um carro, ônibus ou avião e expor todos ao vírus. “Mesmo os indivíduos assintomáticos que forem viajar para visitar seus familiares devem ser cuidadosos e manter os cuidados com a prevenção. Preferir ambientes arejados e evitar aglomerações e, se apresentar qualquer sintoma, manter o distanciamento e procurar o serviço médico para fazer a testagem. Isso vale para as crianças também”, completa ele.

Sobre os testes PCR, Dra. Carmem destacou que a Dana foi uma das primeiras a cadastrar o teste entre suas ações de combate a COVID-19 no plano de saúde Danamed. “Adotamos todas as providências para ampararmos nossos beneficiários e montamos uma equipe grande para atender as famílias, observando todas as recomendações dos organismos de saúde nacionais e internacionais”, conclui a médica.

Como bem explicaram Dra. Carmem e Dr. André, cautela é a palavra de ordem neste momento.

Fale agora conosco!